sábado, 5 de junho de 2010

EMPOÇADO

Afonso Cláudio possui lugares incríveis para visitarmos e nos deliciarmos com as belezas da natureza. São diversas cachoeiras, cadeias de montanhas, pedras para escalada, trilhas para serem percorridas a pé ou de moto e locais fantásticos para caminhadas.

Particularmente, freqüento o Empoçado para realizar minhas caminhadas. O Empoçado constitui-se de uma formação montanhosa pertencente a Serra do Castelo, que possui diversas pedras com formatos diferentes. São ínumeras as formações geológicas de pedras formadas ao longo do tempo e uma das maiores altitudes da Serra do Castelo. A Cordilheira forma um paredão de pedras e matas muito preservadas.
Entretanto, existe algo de mágico naquele lugar. Algo que transcede a compreensão singular do indivíduo.

Todas as vezes que percorro os 6km da volta do Empoçado, uma fantástica força toma conta de todo o meu ser, como se energizasse o meu corpo e a minha alma. É uma energia que irradia, talvez do solo, talvez do ar, talvez das pedras, que é possível de sentir como se fosse palpável.

O vento que sopra no Empoçado é quente e úmido, enchendo meus pulmões com um aroma doce como o do mel. A luz do dia parece brincar com meus olhos. Se olho para o nascente, vejo o crepúsculo se aproximando; se olho para o poente, vejo os últimos raios dourados do sol teimando em deixar de iluminar aquela terra mágica.

Neste sábado (03), o espetáculo foi ainda mais supreendente. Além do crepúsculo brigando com as luzes do fim de tarde, havia uma delicada chuva que caía sobre mim, como que fazendo carinho sobre minha pele. Não era uma chuva torrencial, ou sequer mais forte, eram apenas pequenas gotinhas de água que despencavam de algum lugar no céu e que, se eu quisesse brincar com elas, me desviaria facilmente de algumas, sendo pega apenas por outras poucas, num delioso jogo de pega-pega com a chuva.

As gotas de chuva iam molhado o chão e fazendo subir aquele cheiro característico e delicioso da chuva molhando a terra; fazendo os passarinhos cantarem ainda mais forte pela alegria do presente que recebiam. As árvores e as flores do campo também agradeciam o banho energizador da chuva.

Ao olhar para o céu, já alcançando o último quarto da caminhada, de cima de um tope de morro, observei com mais detalhes a beleza daquele lugar numa típica tarde de primavera: em alguns pontos um céu azul de brigadeiro, em outros nuvens num matiz de cinza, que iam do mais claro até o tom pezado de chumbo e, no extremo do poente, um matiz de dourados, laranja, rosa, lilás e todas as cores que compõem o mais belo por do sol do Empoçado.

“Simples assim”: mais uma benção de Deus, à disposição daqueles que possuem a sensibilidade de perceberem seus presentes nas coisas mais singelas da vida.

(Publicado no "Cidade", Maio, 2010) 

2 comentários:

  1. Por mais bela que seja sua descrição, estar lá, apreciar a beleza do lugar, desfrutar do clima, do ar, do passeio não tem comparação.

    É mesmo um lugar abençoado, esculpido pelas maos divinas do nosso Criador.

    Vale a pena passar por lá e renovar as energias. Eu mesma, até banho de chuva já tomei lá... Delíciiiiiaaaaaaaaa!!!!

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante!